Sobre a “Orchestra of Crafty Guitarrists”

por Robert Fripp.
tradução: Victor Cumplido e Gabriel Vidal.

I

O que é a “Orchestra of Crafty Guitarrists”?

Uma possível resposta: Muitas pessoas fazendo muito barulho com violões. As vezes até mesmo se apresentando em público, como em Sant Cugat, Seattle, Sassoferrato, Funes e Farnese.

Outra possível resposta: um estudo especializado sobre as propriedades auto-organizacionais de totalidades complexas. Como a Inteligência age sobre e através dos indivíduos, tornando-os um só? E se um nível mais elevado de Consciência ou Inteligência Criativa necessitasse entrar neste mundo, que tipo de corpo ou veículo ele necessitaria?

Os desafios globais que enfrentamos, e que serão enfrentados por esta e pelas próximas gerações, estão além das capacidades de um indivíduo. É mais provável que encontremos soluções em grupos e redes de relacionamentos do que nos esforços de indivíduos agindo isoladamente.

A qualidade necessária para as soluções dos problemas de hoje em proporções globais é criativa, ou seja, no nível da genialidade. O indivíduo genial solitário é, por definição, solitário e individual. A questão então é: como podemos cultivar e desenvolver a genialidade grupal?

II

Um grupo se junta em prol de um objetivo. Em um certo nível, cada membro do grupo é o grupo, e o grupo age em favor de e através desta pessoa. Este é o nível em que as sociedades agem pelo interesse comum, onde soluções globais são encontradas ou, mais especificamente, se apresentam para serem descobertas.

Como 100 pessoas podem agir como se elas fossem uma só?

Isto não ocorre por acaso, nem por sorte: é uma tarefa intencional.

Ações grupais, sociais, nacionais, internacionais e globais à serviço do planeta são improváveis que aconteçam rapidamente. Mas isto não é uma razão para que não comecemos.

Como? Nós começamos com o possível e nos movemos gradualmente em direção ao impossível. O impossível já está disponível, porque ele tem que ser. A dificuldade prática é que ainda não direcionamos o possível.

Então, onde começar? Nós começamos onde estamos, mas começamos hoje.

III

Onde estamos na “Orchestra of Crafty Guitarrists”?

Essa iniciativa é baseada em 25 anos de experiência em cursos do Guitar Craft, ministrado em quatro continentes para talvez 3.000 estudantes em sua maioria maiores de 18 anos. Os seminários do Guitar Craft ofereceram oportunidades para o desenvolvimento de disciplina pessoal e habilidades no violão promovendo a musicalidade, principalmente dentro de um contexto de tocar com os outros.

Nós temos 25 anos de experiência em desenvolver elementos de práticas em comum, expressadas principalmente em sua forma musical e em sua maioria com violões. Música é essencialmente um ato social, e o treinamento do Guitar Craft tem o seu lugar dentro do Guitar Circle. Isto fornece oportunidades para o desenvolvimento de habilidades sociais, soluções de problemas, confiança e responsabilidade e cultivo de iniciativa pessoal frente a qualquer nível de desafio que o estudante esteja apto para responder honrosamente; tudo com um ambiente de apoio e encorajador. Diversão, jogos, espontaneidade e improvisação são tao necessários no desenvolvimento de qualquer disciplina quanto práticas e exercícios.

IV

A música vai além das palavras e culturas. A música permite que nos comuniquemos e expressemos quando as palavras falham. A música nos toca ao falar diretamente e imediatamente conosco de tal forma que escapam explicações fáceis, mas não são menos reais por isso. A música é tão disponível para nós quanto nós somos disponíveis para a música.

Onde há música, há esperança.

Essa é a hora.

Domingo, 23 de Janeiro de 2011
Monasterio Nuestra Señora de Los Angeles,
Monjas Dominicanas,
Sant Cugat, Espanha.

Os comentários estão desativados.